Qual é a idade ideal para conversar sobre finanças com o filho?

Controlar e entender como utilizar os seus rendimentos é algo complicado e que ainda assusta muita gente. Esse descontrole afeta de forma direta o planejamento financeiro das pessoas. De acordo com pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC), publicada em janeiro de 2018, o total de famílias brasileiras inadimplentes no país é de 22,9%.

Pensando nisso, é importante que os pais conversem com as crianças para que, logo na infância, elas tenham as primeiras noções sobre finanças.

Entre pesquisadores, não existe um consenso sobre qual seria a idade ideal para começar a falar sobre educação financeira. Porém, uma parcela diz que aos cinco anos já é possível entender os conceitos mais básicos, como o entendimento de quantidades. 

Outro facilitador é tornar o tema recorrente em conversas familiares. Essa atitude faz com que as ideias fiquem mais claras conforme a criança se desenvolve. Um exemplo é o de quando os filhos percebem que com uma nota de 20 reais pode se comprar um ou mais brinquedos.

Entre sete e oito anos, os pais podem iniciar o sistema de mesada. Ao colocar data e valor fixo, que podem mudar de forma progressiva, é possível ensinar a economizar e a planejar os seus gastos.

A partir desse momento, as lições podem evoluir e a noção de quanto custa os produtos é o próximo desafio. Até algumas escolas arriscam a falar sobre o tema. 

TURMA DA MÔNICA

Em 11 de março, a Turma da Mônica e o Sicredi divulgaram três vídeos sobre a educação financeira. Usando os principais personagens de Maurício de Souza, os curtas têm como objetivo orientar as crianças.

Com duração de um minuto e meio, os episódios trabalham os temas de orçamento familiar, de onde vem o dinheiro e a recompensa de quem sabe administrar as contas.

Até o momento, três vídeos estão disponíveis no canal do YouTube da instituição financeira. Confira o resultado dessa parceria: https://bit.ly/2HvcBHa

Leave a Reply